Classificação

HEMORRAGIA CLASSE I

            Volume de até 15%. Volume (pessoa com 70kg, em ml) = até 750 mililitros.

            Sinais e sintomas: mínimos. Ocorre apenas um leve aumento da freqüência cardíaca.                                                                                                                                 

 Exemplos: uma mulher pode apresentar uma hemorragia uterina, pouco freqüente e muito perigosa, que é semelhante a uma menstruação comum e dura pouco tempo.

HEMORRAGIA CLASSE II

            Volume = 15 a 30%. Volume (pessoa com 70 kg, em ml) = de 750 a 1.500 ml.                

Sinais e sintomas: Taquicardia (freqüência cardíaca acima de 100), taquipneia (respiração rápida) e diminuição da pressão do pulso (pulso fino) e leve diminuição da diurese.

HEMORRAGIA CLASSE III

            Volume (em porcentagem) = 30 a 40%. Volume (pessoa com 70 kg, em ml)= de 1500 a 2000 ml.                                                                                                                     Sinais e sintomas: Além dos sintomas da hemorragia classe II, apresenta sinais clássicos de hipoperfusão. Existe diminuição do nível de consciência, palidez e sudorese fria.                                                                                                                       

Reposição: É tentada primeiro a reanimação com cristalóides, mas muitos destes pacientes não responderão satisfatoriamente e provavelmente necessitarão de transfusões.

HEMORRAGIA CLASSE IV

            Volume ( em porcentagem) = mais de 40%. Volume (pessoa com 70 kg, em ml) = mais de 2000 ml. Sinais e sintomas : Este é o grau de exsanguinação, isto é, o paciente fica sem sangue. Apresenta taquicardia extrema, marcada queda da pressão sistólica e dificuldade para perceber a pulsação. O débito urinário é próximo de zero. Há perda total da consciência.                                                                                                             

Reposição: estes pacientes sempre requerem, além dos cristalóides, transfusões sanguíneas e cirurgia urgente para sobreviver.