Verificar a condições de segurança do local

      Se há situações de perigo, tanto para o socorrista, quanto para a(s) vítimas(s).

 

Socorristas

            Procurar saber se existem pessoas com treinamento em Suporte Básico da Vida no local.

 

Chamar socorro

            Informar a quantidade de vítimas envolvidas, passando o maior número de dados, facilitando assim o socorro.

 

Verificar ABCD

            A – Vias Aéreas e B – Respiração

            São as principais prioridades, permitindo a ventilação e oxigenação, com a finalidade de manter os níveis de hemoglobina adequados no sangue. Não esquecendo da importância da realização do controle da coluna cervical nesta etapa, se houver suspeita de trauma na região.

            C – Circulação e Controle da Hemorragia

            D – Desfibrilador

            O controle da hemorragia externa é prioridade (uma vez que sangramentos internos podem exigir tratamento cirúrgico), além da obtenção de acesso venoso e a avaliação da perfusão tecidual. O sangramento de feridas externas é conseguido de compressão direta sobre o local, e será melhor descrito adiante.

 

Exame Neurológico

            Importante fazer um breve exame neurológico para determinar:

  • Nível de consciência
  • Movimentação ocular
  • Resposta da pupila à luz

      Tais itens são dados para a avaliação da perfusão tecidual. Podem refletir ainda perfusão cerebral inadequado.

 

Exposição para exame físico superficial

            O paciente precisa ser exposto completamente em busca de lesões que possam ser fontes de perda significativa de volume sanguíneo.